Quando falamos de plantas e de jardinagem surge muitas vezes a expressão “Dedo verde”, a expressão que originalmente vem do inglês e que lá é “Green Thumb” se traduziria melhor como polegar verde.

As pessoas que tem o dedo verde ou o polegar verde, são as que tem “Boa mão” com as plantas. Todos gostaríamos de ter essa habilidade, habilidade que precisa também de muito conhecimento. É impossível não sentir um pouco de inveja quando vemos um jardim impecável, porque todas as plantas estão sadias, bonitas e os canteiros floridos.

Como nem todos temos a mão verde, antes que comecemos a desistir de ter vasos em casa ou nos atrevamos a plantar algumas flores nos canteiros é bom saber que não é tão difícil e que além de conhecimento e habilidade há algumas plantas que fazem que este desafio seja mais fácil de superar.

Para fazer que os jardineiros amadores tenham mais sucesso nas suas empreitadas e que os jardins sejam mais bonitos, selecionamos uma lista de plantas que sobrevivem aos piores jardineiros. Aquelas que são difíceis de matar. As plantas que podem ficar semanas e meses sem ser regadas, ou que precisam de pouca luz. Plantas que se adaptam aos ambientes internos com baixa iluminação, com ar condicionado ou com proprietários que não lembram que as plantas precisam de fertilizante e água para sobreviver.

Entre as campeãs de resistência selecionamos cinco.

1.Sansevieria: é uma das plantas que melhor resiste a longos períodos de seca e a pouca luz. Conhecida por “Espada de São Jorge” ou por “Lança” são fáceis de cultivar. Há uma boa lista de espécies do gênero Sansevieria que podem ser usadas no interior. São todas muito resistentes e toleram do sol intenso a meia sombra. Precisa ser regada só quando o substrato esteja seco e no inverno a quantidade de água pode ser reduzida pela metade. Resiste a longos períodos sem água, podendo chegar a dois ou três meses. As plantas das espécies S. trifasciata são muito apreciadas e também as da S. cylindrica.

2. Monstera: é o nome técnico da costela de Adão ou do Abacaxi japonês. Não tem nenhuma relação nem com o abacaxi, nem com o Japão. São plantas originarias das florestas tropicais sul-americanas. As folhas de cor verde intenso e de formas recortadas o que lhe conferem um atrativo adicional. Na natureza utiliza os troncos das arvores para crescer em direção a luz. Em vaso deve deixar que cresça naturalmente, sem podas e com poucas regas. Não é muito exigente em quanto a fertilizante e cresce bem em qualquer ambiente. Precisa de vasos maiores, que as outras plantas da nossa seleção, porque a pesar de ter um crescimento lento, com o tempo as folhas alcançam um bom tamanho. O fruto é comestível e o seu nome técnico completo Monstera deliciosa já da uma boa dica do sabor e de como é apreciado.


3. Yucca: é outra das plantas que é difícil de matar. Pela sua forma e seu porte é polivalente e pode ser usada com porte de árvore pequena, em vasos menores ou formando um conjunto vertical num corredor com pouca luz. Resiste bem ao sol direto e também a meia sombra. Precisa de poucas regas e pode passar meses inteiros sem precisar ser regada. Também é originaria da América tropical e cresce bem em vasos. Pode chegar a ter problemas por excesso de água. Mas se adapta muito bem nos ambientes secos e com pouca luz de escritórios e residências. É uma das sobreviventes que merecem um lugar de destaque nesta lista. Yucca elephantipes é uma das melhores. As plantas da espécie angustifólia são menos recomendadas.


4. Pleomele: também conhecida pelo seu antigo nomes de Dracaena reflexa é uma das melhores opções para os nossos jardineiros amadores. Quase impossível de destruir, a Pleomele é de origem africano e se adaptou muito bem aos ambientes secos de escritórios e residências. É bom lembrar que o ar condicionado resseca os ambientes e muitas plantas não toleram ambientes muito secos. Por isso, as plantas de folhas mais duras e brilhantes tem uma resistência maior. No caso das pleomeles é bom prestar atenção, porque não todas as espécies ou variedades tem a mesma capacidade de adaptação. As plantas de folhas variegadas não são recomendadas porque precisam de muita luz. As melhores são as Pleomele reflexa, a Pleomele thalioides e há uma nova variedade muito interessante que é denominada “Anita”.


5. Chlorophytum: o clorofito é uma planta pouco utilizada por não ser suficientemente conhecida a sua rusticidade, a sua durabilidade e resistência. As suas folhas variegadas proporcionam cor e oferecem uma boa alternativa em ambientes internos.  Tem um grande potencial para jardins verticais e cultivado em cuias ou em vasos pendentes as suas mudas novas formam uma bela composição. É muito resistente a pragas e doenças e pode passar longos períodos sem precisar ser fertilizada, nem regada. Não tolera sol direto e só deve ser regada quando o substrato seque completamente.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *