Administração de Condomínio
Artigo Assinado

Dicas para ajudar os condôminos de primeira viagem

por Gustavo Camacho Solon em 02 de janeiro de 2018

O número de prédios e condomínios fechados tem aumentado por todo o país, pois os condomínios são reconhecidamente mais seguros do que casas.

Além disso, a comodidade de ter um terceiro cuidando da administração e gestão do condomínio é um fator decisivo para o aumento no número de condomínios em âmbito nacional, pois o modelo de vida atual é extremamente atribulado e faz com que as pessoas não queiram mais se comprometer com fatores alheios à sua profissão e família.

De igual forma, a possibilidade de rateio de despesas tem atraído inúmeras pessoas para os empreendimentos condominiais, sejam estes de casas ou apartamentos. Contudo, muitas destas pessoas jamais residiram em condomínios e podem ser denominados como “condôminos de primeira viagem”.

Para orientar estes novos condôminos é importante que o síndico invista tempo na promoção da educação informativa.

Trabalhando com a matriz do aprendizado na ignorância inconsciente em âmbito jurídico: Toda norma jurídica deve ser (I) concebida e informada, pois assim poderá ter sua aplicação (II) cobrada e fiscalizada, a fim de que os infratores sejam (III) punidos.

Porém, CUIDADO: a ausência de fiscalização e punição gera a sensação de impunidade e faz com que a injustiça se instale no ambiente.

Então síndico, para que essa imersão seja de sucesso dou as seguintes dicas:

  • Realize workshops para tratar dos assuntos envolvendo as regras de convivência estabelecidas pela convenção e pelo regulamento interno;
  • Elabore circulares informativas e intuitivas sobre pontos específicos da convenção e do regulamento interno;
  • Utilize aplicativos mobile para comunicar aos condôminos sobre as regras existentes;
  • Realize pesquisas e identifique as maiores dúvidas dos condôminos quanto às normas do condomínio;
  • Elabore um rol denominado “perguntas comuns”, respondendo sucintamente as perguntas mais frequentes dos condôminos e o disponibilize em meio eletrônico e físico;
  • Monte um cartilha expondo os direitos e deveres dos condôminos constantes na convenção.

Enfim, use a criatividade e comunique sempre, como já dizia o saudoso Chacrinha: “Quem não comunica se trumbica!”


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *