Manutenção

Manutenção dos para-raios deve estar em dia

por BRCondos em 17 de janeiro de 2017

Você sabia que o Brasil é o país que mais recebe raios no mundo? Incrível, mas é verdade. Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) dos 3,15 bilhões de raios que atingem a Terra durante um ano, 100 milhões deles vêm desabar em terras brasileiras. Por isso, estar em dia com a manutenção do equipamento de para-raios do prédio é tão importante para segurança de todos.

Nesta época do ano a incidência de raios é maior devido as fortes chuvas e se não foi feito o check-up do prédio em dia, é uma boa hora para solicitar um com seu fornecedor. Pode haver casos em que não há instalação do equipamento chamado de Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA), o que é ainda mais grave para o edifício.

Essa é uma tarefa do síndico, na verdade uma responsabilidade. Mas todos os condôminos podem ficar atentos ou até cobrar se a manutenção está em ordem, pois caso aconteça de cair um raio no edifício pode haver danos a estrutura e conteúdo, falhas aos sistemas eletroeletrônicos associados ou ferimentos a seres vivos dentro ou perto das estruturas de risco. Se o equipamento não estiver em ordem o síndico pode ser responsabilizado por negligência e o seguro do condomínio invalidado.

Bem, caso o condomínio esteja em dia com este item, assim que o equipamento é instalado ele recebe uma Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) emitida pelo engenheiro responsável. Junto são entregues o projeto do sistema e um relatório da instalação. Quando é feita a manutenção a ART é renovada. Importante! É recomendado que uma vistoria visual do equipamento seja realizada de seis em seis meses e que haja manutenção sempre que necessário.

A norma reguladora dos para-raios é a NBR 5419, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Todos os elementos metálicos que podem funcionar como captação de eletricidade devem ser aterrados ao sistema de proteção. Para os condomínios mais antigos é importante um acompanhamento e revisão da empresa de manutenção, já que é necessário uma adequação a normatização

Os dois tipos mais comuns de equipamentos são o Franklin e a Gaiola de Faraday. Para proteção adequada, no caso de prédios com mais de 20 metros de altura, recomenda-se a instalação dos dois sistemas, que trabalharão conjuntamente na proteção do condomínio.

*Franklin                                                                                          *Gaiola Faraday

franklin_351_385Gaiola-de-Faraday

 

O que acontece quando um raio atinge a estrutura  do condomínio?
Se um raio atingir um prédio protegido a descarga elétrica percorre o para-raio, atinge o sistema de cabo e descarrega sua força no solo. Se não há proteção adequada, ou se ela está sem manutenção o raio atinge a estrutura e percorre as instalações elétricas. Essa falha também põe em risco quem estiver circulando nas dependências do condomínio.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *