O aumento da verticalização e a redução das áreas disponíveis para jardim tem impulsado o mercado de plantas para interior. Plantas para interior são aquelas que se adaptam as condições dos ambientes internos de baixa iluminação, pouca ventilação e ambientes mais secos que os habituais. Os espaços internos não são adequados para a maioria de plantas e é preciso conhecer quais as que melhor se adaptam nestas condições adversas.

Paisagistas e jardineiros tem ao longo do tempo selecionado as melhores plantas para estes ambientes e a maioria delas está no mercado há décadas. Com essas experiências se tornou possível colocar plantas naturais em ambientes internos com segurança.

Mas, como saber quais são as plantas ideais para os ambientes internos?

Inicialmente aquelas que requerem pouca luz, plantas que crescem e desenvolvem em ambientes de sombra são uma boa alternativa para ser usadas no interior, mas a maioria das plantas que crescem em ambientes sombrios, são também plantas que preferem ambientes de alta umidade e neste caso não se adaptarão bem aos ambientes internos. Residências são ambientes mais secos que os ambientes naturais por isso devemos escolher plantas que tolerem bem a falta de água e ambientes mais secos. Assim é a fórmula: plantas que se adaptem a ambientes com pouca luz e baixa umidade são as melhores para utilizar em ambientes internos 🙂

Entre as melhores plantas para estes ambientes recomendamos as Dracenas, Yuccas (nome popular: yuca), Spathiphyllum (nome popular: lírio-da-paz), Sansevierias (nome popular: espada da São Jorge) , Zamioculcas (nome popular: árvore do dinheiro) e os Philodendros (nome popular: imbé). Estas são algumas das mais conhecidas e mais utilizadas, mas para quem queira utilizar outras plantas menos comuns a lista é mais extensa e inclui: Rhapis, Pleomeles (nome popular: pau d’água), Monsteras, Clorophytos (nome popular: gravatinha) e Scindapsus (nome popular: era-do-diabo, jobóia prateada).

Uma boa dica é preferir plantas que tenham sido cultivadas já em ambientes de baixa luminosidade, assim já estão adaptadas as condições de cultivo e não sofrerão com a adaptação as novas condições. Plantas cultivadas em ambientes mais luminosos muitas vezes sofrem ao ser transferidas para ambientes internos e perdem a maioria das folhas, numa situação da que dificilmente chegam a se recuperar.

Dracena
Yuca

 

Lírio da paz

 

Espada de São Jorge

 

Árvore do dinheiro

 

Imbé

 

Raphis

 

Páu-d’água
Gravatinha
Jiboia, era do diabo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários

  1. Eliana Aparecida de Lima

    Bom dia…..Amei a matéria, adoro plantas e animais, como posso harmonizar minha casa com plantas, sem que minha gatinha estrague meus vasos. Obrigada. Eliana

    1. BRCondos

      Bom dia Eliana, é um ótimo tema para trabalharmos no portal. Vamos buscar mais informações para você e compartilhamos aqui em breve. Obrigada pela participação! 🙂

  2. Sonisa Maul de Andrade

    Reportagem muito boa.

  3. Ana Cristina

    Gostei muito da matéria. Foi bastante útil para mim. Parabéns.

  4. Estephania nogueira

    Os nomes das plantas deveriam vir com os nomes populares e não científicos, ou os 2 juntos. Falar a linguagem de quem não é da área de jardinagem.

    1. BRCondos

      Oi Estephania, a pedidos colocamos o nome popular das plantas e uma foto para ajudar a reconhecer cada uma. 🙂

  5. Nildo

    Seria interessante além do nome científico, colocar o nome popular e uma foto de referência, ajudaria aos leigos como eu. Abraço.