Esse vídeo marca a minha estreia aqui no portal da BRCondos como colunista. Com ajuda da Dra. Denise Oliveira, especialista em direito condominial, explicamos um pouco mais sobre a permissão dada ao síndico para acessar as unidades em certas situações e circunstâncias.

Deixe seus comentários por aqui e até a próxima.


Deixe uma resposta para Giuliano Pelaquin Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários

  1. Jose Suhanko Neto

    analisemos uma casa terrea tambem, se na mesma forma os vizinhos “”achassem”” o que disse nesse comentario, todos chamariam chaveiros e abririam as portas uns dos outros. Em assaltos ou problemas internos às propriedades , havendo uma pessoa armada, quem entrasse seria possivelmente morto , isto nao é conselho. Num incendio ao se abrir a porta, o contato externo ao oxigenio cria uma lingua de fogo que fere ou ate mata uma pessoa. So em ouvir o enunciado.pela advogada, quase se da o direito de invasao à propriedade, pior a leigos que viram o comentario. Toda ocorrencia deve ser levada às autoridades, ate em se mexer num acidentado pode levar a uma gravidade maior e irreparavel.O risco num incendio pode criar mais vitimas e na nova lei de armamento sua propriedade é inviolavel por isso esta se armando a populaçao, para proteçao. Um dia bateram a minha porta devido a um barulho, era o apartamento de cima. Numa ocorrencia estariam adentrando num local errado, podendo criar situaçoes constrangedoras. Nao concordo com o argumento exposto

  2. jose suhanko neto

    Esta explicaçao é direta. O direito de preservaçao de direito de propriedade é burlado pela administraçao que adentra ao seu apartamento so se tiver copia das chaves declarando assim que o direito de preservaçao do lar é burlado. A policia é obrigado ter uma ordem judicial e a administradora nao. Se pwrdemos o direito de preservaçao, não somos mais proprietarios , assim como a sacada pertence ao total da compra cuja area è registrada como propriedade do possuidor, nao é area comum senao todos entrariam na sua sacada para ver a vista panoramica que da sua sacada é melhor.A sacada sendo parte integrante do imovel como as dependencias, fica a seu criterio o uso, nao sendo assim e gerido por outros nao seria sua parte na propriedade, ha muita intrusão do que se pode ter nas sacadas sem fundamento, se ela nao foi modificada, alterada e criar um tom em desacordo divergente a construçao e igualdade fisica, mas dentro da area que nao é comum e sim particular o uso nao pode ser restrito senao nao é propriedade, sentindo-se cada vez mais ser menos proprietario ou ter que se curvar a ordens de terceiros sobre sua propria propriedade. Nao concordo com a explicaçao desta invasão velada sabendo que nao posso sair de minha propriedade que podera ser invadida a qualquer pretesto e ter a unica ferramenta de abertura despresada que sao as chaves, pidendi-se chamar um chaveiro arrombador para se adentrar estranhos. Isto deve ser acomoanhada por autoridade Policial diante de processo criminal autorizada por juiz e nao Sindico ou zelador. Num sinistro ou ocorrencia existem as autoridades e pkantão de preservaçao apos a abertura. Casi contrario seria melhor desfazermos de nossas propriedades.

  3. Jose Suhanko Neto

    Moro num edificio que tem gaz de rua, isto é uma Bomba fixa prestes a esplodir. Não é apresentado o local onde passa encanamento do gaz dentro dos apartamento, chama-se estranhos para manutenção ou fura-se a parede para fixações, em se furando o encanamento com pequena fissura, isto pode alastrar-se entre os blocos e favorecer uma explosão. Seria necessario planta de gaz, tbm agua , eletricidade e esgoto para que se fizesse ate um unico furo. Segurança ZERO .

    1. Giuliano Pelaquin

      Olá José! Sua observação é importante.

      Em geral as construtoras fornecem todas estas plantas. Se o condomínio for mais antigo ou mesmo a construtora não existir mais, é possível contratar empresas de engenharia especializadas para fazer laudos e dar orientações de segurança em relação a estes reparos.

      Uma outra praxe é que o condomínio tenha seu próprio arquiteto que irá aprovar ou não os projetos de mudanças estruturais do arquiteto do condômino. Normalmente este custo é pago pelo próprio condômino. É um custo a mais que vale a pena pois visa a segurança de todos.