Sustentabilidade

Condomínio em Florianópolis cultiva horta comunitária há 3 anos

por BRCondos em 06 de junho de 2017

O condomínio Residencial San Felipe fica localizado no bairro Abraão em Florianópolis e traz um bom exemplo para compartilharmos essa semana, lembrada como semana da ecologia e meio ambiente.

Com 130 apartamentos e cerca de 200 moradores o condomínio cultiva desde 2014 uma horta comunitária. A ideia partiu de Aldo Fiala, morador do condomínio e que já havia tentado cultivar outras hortas. Aldo lembra que não foi e não é fácil criar e cultivar uma horta coletiva. Para isto, precisou ler bastante sobre o tema. Segundo ele aproximadamente duas horas por dia são gastas com a manutenção de um projeto assim e encontrar moradores com esse tempo é quase impossível, então é preciso ao menos um responsável e no mínimo mais um ajudante para manter a horta produzindo. Persistência também é algo importante já que você não terá o resultado de imediato. É preciso de aproximadamente seis meses para começar a colher os resultados.

No San Felipe o espaço ocupado não é grande e prova que é possível cultivar uma horta em qualquer espaço. São aproximadamente 10m² , onde se produzem as mudas e mais dois canteiros de 80 cm de largura por aproximadamente 12 metros. ( Veja nas imagens)

 

“Com menos de 2 meses já tínhamos resultados, mas para isto tivemos que comprar terra adubada. Os caixotes fizemos inicialmente com “paletes” usados e hoje já temos os canteiros de alvenaria, o que fica esteticamente melhor. Outra opção é a utilização de caixas de isopor, pois não apodrecem”, comenta Fiala. A horta do San Felipe não utilizou dinheiro do condomínio. Ela é mantida por um grupo de moradores, desde o início, e as hortaliças, legumes e temperos podem ser colhidos por qualquer um que lá resida.

Diogo Cruz é um deles. Ele mora há cinco anos no condomínio e participou desde o inicio do projeto. Confessa que não consegue ajudar muito na mão de obra, mas que contribui para o caixinha e com a vigilância da horta. “Ter uma pequena horta no condomínio é um privilégio. Praticidade e procedência são aspectos positivos evidentes, mas fatores como, acompanhar o crescimento, realizar a colheita, a distinção no sabor, é que fazem toda a diferença. E além de tudo isso, o conteiro ficou muito mais bonito”, destaca.

Entre hortaliças, temperos, ervas e chás, são aproximadamente 40 tipos de vegetais na horta do San Felipe, como: alface crespa, americano e roxo; manjericão, manjericão basilicão e manjericão roxo. Boldo e boldo chileno; hortelão normal, hortelã pimenta, a menta e stévia (adoçante natural); pimentão, babosa, citronela, salsa, cebolinha, sálvia, losna, malva e por aí vai.

“Eu conheço de perto a horta do San Felipe e acho a ideia formidável. Todos do condomínio podem ter acesso e quem gosta de cozinhar ter ervas frescas ao alcance. Aqueles que quiserem podem fazer uma contribuição espontânea e ajudar com os custos. Algo simples, mas que ajuda na convivência e bem-estar de todos”, Fernando Willrich, proprietário da BRCondos Florianópolis que administra o prédio.

 

Como posso ter uma horta no meu condomínio?

Caso o condomínio decida fazer uma horta, precisará de um investimento inicial de R$ 500,00. Com isto conseguirão comprar ferramentas, mudas, terra e iniciar o projeto. Estes valores podem subir vertiginosamente, dependendo do padrão do prédio. Segundo Aldo não havia dinheiro no início, somente a ideia, por isso ele teve que improvisar. Reutilizou materiais como madeira e embalagens plásticas usadas. Para baratear os custos, ele sugere o uso de esterco de vaca como adubo (caso algum morador tenha um sítio, pode ser uma boa ideia).

Estar de olho na hortinha sempre é bom, principalmente para detectar a presença de pragas e insetos. Alguns podem ser até retirados manualmente no caso de caracóis, lesmas e lagartas, por possuírem um forte poder destrutivo nas hortaliças (normalmente aparecem em tempos chuvosos) ou pode-se optar por tratamentos fotossanitários, como sugere Aldo. Segundo vários especialistas os outros insetos como pulgões e cochonilhas, surgem de disfunções proteicas da própria planta, que por sua vez libera aminoácidos (açúcares) para as folhas, onde atraem os insetos. Ambos os insetos citados, eliminam excrementos adocicados, surgindo em alguns casos um fungo conhecido como fumagina. Por sorte aparecem as joaninhas e comem estas pragas. A fumagina é eliminada com uma calda de sabão, de fumo ou óleo de neem (óleo extraído de semente de árvore de neem ou nim).”

 

Outras instruções para começar uma horta 

  • Não esqueça de aprovar primeiro a ideia em assembleia.
  • Eleja um grupo/comissão para começar.
  • Cuidado com a regas, elas precisam ser diárias ou a cada dois ou três dias, pois as hortaliças têm ciclo de vida curto e necessitam de pequenas quantidades de água frequentemente. Lembre-se que cada planta tem necessidade hídrica diferente e podemos afogar ou matar de sede um vegetal prisioneiro em um vaso.
  • Muitas mudas são transplantadas para as áreas definitivas. É comum, que uma planta possa ser mudada de lugar até umas três vezes até crescer e ser colhida, dependendo de sua fase de desenvolvimento.
  • A remoção das ervas daninhas também deve ser necessária, para não atrapalharem o desenvolvimento das plantas. Entretanto, são uma excelente fonte de informação sobre a maturação do solo (envelhecimento até se tornar fértil). As ervas daninhas, hoje conhecidas como indicadores biológicos, nos avisam por meio da sucessão vegetal, o estágio de maturação ou envelhecimento do solo.
  • É melhor manter um caixinha a parte do dinheiro do condomínio. Por exemplo, quem não tem tempo de ajudar, mas acha ótima a ideia de consumir, pode ajudar financeiramente a manter a horta.

    DICA
    : Se desejarmos uma horta saudável, devemos observar as ervas daninhas e ajustando os componentes do solo até chegarmos ao solo fértil, onde surgirão outras plantas como o Caruru, Beldroega e o Dente-de-leão, por exemplo. Um pequeno espaço deverá ser destinado a compostagem. Os moradores podem depositar os restos picados de vegetais em camadas intercalando com terra, para que apareçam as minhocas. Em alguns meses as minhocas transformarão este solo em húmus de minhoca, sendo um excelente adubo natural.

    Veja alguns livros que podem te ajudar também


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *