Muitas pessoas que vêm ao meu consultório, me pedem a receita para uma vida mais saudável e feliz. Mesmo sabendo que cada pessoa é única e dificilmente uma receita sirva para todos, minha experiência de 21 anos de consultório já me possibilita oferecer a vocês algumas sugestões.

Se você quer estar mais perto da felicidade e da saúde:

Abra mão das queixas, todas! Se você já é adulto, tome a responsabilidade sobre a sua vida. Ninguém além de você mesmo é culpado pelos resultados que estão acontecendo. Escolha ter maturidade e transforme tudo o que pode ser transformado. Deixe o que é dos outros com os outros. Cada um tem condições de dar conta do seu destino, mesmo que muitas vezes seja difícil aceitar isso. Cuide apenas da sua vida e cuide bem.

Aprenda a viver com mais confiança na Vida. Este é o maior dos desafios. Em especial pelo momento da rotina diária do brasileiro. Muitos de nós estão passando por uma grande angústia sobre o amanhã e se perguntam: as coisas melhorarão? Aprenderemos com todas essas oportunidades? Confiar na vida significa dizer para si mesmo: ‘Eu escolho aprender com o que está acontecendo agora comigo e farei bom uso disso para a minha vida, dos meus familiares e com quem mais puder compartilhar’.

Quem perde a esperança no amanhã, muitas vezes sem que perceba, não está presente no agora. Não desfruta daquilo que já está à sua disposição pelo fato de estar embriagado de pessimismo. Os pessimistas acreditam que são realistas, mas isto não é verdade. Um realista vê saída apesar das dificuldades e um pessimista já não acredita mais na vida, no outro e por vezes, em si mesmo. Por isso, a tendência dos pessimistas é o isolamento. E, para todos os que passam agora por um momento mais difícil deixo uma mensagem: peçam ajuda, por mais difícil que seja, sempre há uma saída. A VIDA QUER QUE OS VIVOS VIVAM!

Dentro de todos nós há memórias, algumas fáceis e outras difíceis. Algumas ainda nos provocam dor e outras saudade. Cada um de nós é feito pela sua própria história. E mais: também dentro de nós há um pouco da história do nosso pai e da nossa mãe. Carregamos em nosso interior também aquilo que habitou o interior deles: medos, alegrias, tristezas, raivas e amor. Herdamos o que foi fácil e também o que foi difícil para eles. Assim sendo, podemos deixar com eles o que é deles e ficar somente com aquilo que legitimamente é nosso. Com amor e gratidão ‘viver a sua própria vida e não a vida deles’ é o que se sugere aqui.

Se estas palavras tocaram o seu coração, experimente colocá-las em prática, no seu dia a dia. Aos poucos e continuamente você se presenteará com uma nova vida brotando em seu interior. Meu desejo é que você viva bem e se reencontre consigo mesmo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *