Com o mercado condominial em expansão e a crescente demanda por síndicos profissionais, muitas pessoas têm se interessado em ocupar a função de síndico. Mas, será que qualquer pessoa possui virtudes para ser um síndico!?

Assim como em qualquer outra atividade profissional, é indispensável que o indivíduo conheça a si mesmo e encontre na motivação interior, o seu propósito de vida, aquilo que justifica a sua existência e o faz levantar da cama todos os dias, independentemente das circunstâncias.

O indivíduo que conhece o seu propósito acaba por não se apegar aos elementos exteriores e efêmeros, eis que impõe a sua vontade para exercitar o caminho almejado em busca da expressão de um ideal. Já quem desconhece suas motivações interiores, vincula-se facilmente aos elementos exteriores, derivados dos desejos corporificados nos resultados de suas ações, tais como bens materiais, prestígio, poder, etc.

Há que se ressaltar que aquele que não cumpre o seu propósito trai, não apenas a si próprio, mas a toda a sociedade que deixa de ter os seus melhores frutos. Vincular-se aos desejos e as paixões materiais e traçar metas físicas e financeiras, bem como abrir campo para a corrupção, rompendo valores éticos e morais de um indivíduo sob o argumento de que um objetivo exterior poderá ser alcançado mais brevemente, tem um alto custo.

Trabalhar com esta mentalidade é aguardar para viver os prazeres exteriores da vida, pois, aqui neste cenário, o enfoque é o resultado e não as experiências obtidas durante o percurso, mentalidade que conduz o individuo à uma prisão mental cujo carcereiro é ele próprio. De fato, conhecer o seu propósito leva o indivíduo a viver o trabalho e não apenas sobreviver dele.


E o que o síndico tem haver com tudo isso!?

De acordo com a tradição filosófica clássica, existem 4 ideias superiores junto ao plano não manifestado: (a) a Beleza, (b) a Bondade, (c) a Verdade e (d) a Justiça. Estas 4 ideias, plasmadas no mundo manifestado representam as (a) artes, (b) religiões, (c) ciências e (d) política.

Sim! A política vincula-se a ideia de Justiça, conforme demonstrado pela representação abaixo:

Em que pese o vocábulo político seja hoje sinônimo de descrédito, a sua origem deriva da palavra pólis (antigas cidades/estado gregas). O político é aquele responsável por cuidar da pólis/cidade, sempre com a ambição de fazer mais e melhor, subjugando as suas próprias paixões em vista dos interesses da coletividade, motivando sua existência para servir.

A degradação da função da real política é capitaneada pelos politiqueiros, que se fecham em si próprios, por isso, eram chamados pelos gregos de idiotas, com a ganância de obterem resultados pessoais, a fim de que da sociedade possam servir-se.

Por isso, o síndico é um político em sua essência, devendo servir como instrumento da Justiça junto a sociedade na qual atua. Exatamente por este motivo, da análise etimológica, verifica-se que o substantivo síndico deriva do grego Syndikos, que significa: o patrocinador da Justiça.

Assim, para que esteja apto a ser síndico, o indivíduo deverá ter ciência de que o artigo 1348 do Código Civil é uma baliza mínima de suas responsabilidades, motivo pelo qual (i) conhecer-se a si mesmo, (ii) para que possa exprimir o seu real propósito de vida (iii) sendo um efetivo instrumento do arquétipo da Justiça junto a sociedade, são os requisitos indispensáveis aos verdadeiros síndicos que desejam liderar e inspirar pessoas.


Comentários

  1. Ana Celia vila Bela

    Nos precisamos de um síndico profissional, no nosso predio o síndico é um arrogante , se acha o dono do prédio por estar 12 anos no comando e não tem transparência nas contas e quem não aceita é perseguido.

    1. BRCondos

      Oi Ana, existem ótimos profissionais oferecendo esse serviço. Em algumas unidades BRCondos também dispomos deste atendimento. Consulte aqui se há uma unidade BRCondos perto de você: https://brcondos.com.br/

Comments are closed.